O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) manteve hoje (7) a condenação que tornou o ex-governador do Distrito Federal Agnelo Queiroz (PT) inelegível por oito anos.

A punição já havia sido imposta pelo TSE em fevereiro, mas o ex-governador entrou com um recurso, julgado nesta quinta-feira. Os ministros da Corte Eleitoral confirmaram, mais uma vez, a condenação por improbidade administrativa pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE).

Agnelo Queiroz foi condenado pela Justiça Eleitoral por ter usado a máquina pública para se favorecer em sua campanha à reeleição, em 2014, quando saiu derrotado. Ele ainda deve pagar multa. O ex-governador foi absolvido de uma acusação de abuso de poder.

O ex-vice-governador Tadeu Filipelli foi absolvido das acusações, ficando livre para a disputa de cargos eleitorais.