Um temporal registrado no meio da tarde dessa segunda-feira, 23 de fevereiro, provocou vários estragos e deixou parte da cidade sem luz por horas, em Amambai.

O tufão com chuva forte e vento em círculo retorceu e quebrou  árvores nas ruas e sobre a fiação de energia e de telefonia, provocando o rompimento de cabos e destelhando várias casas.

A região mais atingida foi uma faixa que se estendeu da Praça Coronel Valêncio de Brum, no coração da cidade passando pelas vilas, Correia, Crepúsculo e no Conjunto Residencial Pôr-do-Sol.

Em partes da Vila Crepúsculo e no Pôr-do-Sol várias casas foram destelhadas, sendo que em algumas delas os moradores tiveram grandes prejuízos, como foi o caso do casal Ézio Gonçalves de 60 anos e dona Genilda Vieira Gonçalves de 64 anos.

Eles que são moradores no Conjunto Pôr-do-Sol, tiveram metade de sua residência descoberta e grande parte dos pertences molhados.

Também no Pôr-do-Sol, onde fica a Associação de Moradores e as instalações do Grêmio Recreativo 11 de Novembro, o “grêmio da Polícia Militar”, também tiveram parte de suas coberturas destruídas pelo vendaval, um cadeirante já de idade avançada acabou sofrendo uma pancada na cabeça quando o temporal arrancou por completa a cobertura do quarto onde ele se encontrava. A tragédia só não foi maior porque os familiares, que residem em uma casa no mesmo terreno, perceberam a situação e se arriscaram saindo em meio ao temporal para resgatar o cadeirante.

Ajuda rápida

Logo após o término do temporal, equipes a Assistência Social da Prefeitura de Amambai coordenadas pela própria secretária da pasta, Eronilde Silveira dos Santos Saldanha, a “Preta”, se deslocaram para a região onde o temporal passou com maior intensidade, visando prestar atendimento as pessoas atingidas.

À reportagem do A Gazetanews, a secretária, Eronilde Saldanha relatou que o trabalho de cadastramento das pessoas atingidas teve que ser acelerado tendo em vista que a previsão seria de mais chuvas para Amambai nas próximas horas.

Equipes de setores logísticos da Prefeitura de Amambai, o Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil do município também passaram a atuar no sentido de desobstruir ruas, retirar árvores e galhos que caíram sobre casas e sobre a rede elétrica.

Uma equipe da SEDESC (Secretaria de Desporto e Cultura) de Amambai, sob coordenação do secretário Elton Marques Martins também se deslocou para a área atingida para atuar no apoio ás famílias, caso fosse necessário.

Segundo o coordenador municipal da Defesa Civil em Amambai, Ivo Alves, apesar da força, o temporal não deixou vítima humana, mas foram constatados pelo menos 32 casos de destelhamentos que acarretaram prejuízos de maior monta aos moradores.

Desses 32 casos pelo menos em 12 deles as famílias tiveram cem por cento das casas descobertas com a força dos ventos.

Segundo Ivo Alves, todas as famílias atingidas com maior gravidade pelo temporal receberam lonas para cobrir suas casas e a partir desta terça-feira, dia 24, a Assistência Social, juntamente com a Defesa Civil, dará início aos levantamentos técnicos para fornecer Eternit, pregos e o material necessário para a recuperação das casas atingidas.

Por conta do grande número de galhos e árvores que despencaram sobre a rede elétrica em vários pontos da cidade, as equipes da Enersul também tiveram que trabalhar exaustivamente para restabelecer o fornecimento de energia. Em alguns pontos de Amambai o blecaute durou por horas.

Fonte: A Gazeta News