O papa Francisco fez um duro discurso neste sábado (21) durante visita a Nápoles, no sul da Itália, em que disse que “a corrupção é suja”, que “uma sociedade corrupta é uma porcaria”, e que aquele que permite a corrupção não é cristão.
O pontífice argentino realizou estas declarações em Scampia, um dos bairros da periferia norte de Nápoles (sul da Itália) tradicionalmente ligado à máfia Camorra e que sofre com a venda aberta de drogas e a alta taxa de desemprego entre jovens.
“Espero que tenham a coragem de seguir adiante com alegria, de levar esperança, de ir pelo caminho do bem e não pelo do mal. (…) De ir adiante limpando a própria alma, a alma da cidade e da sociedade para que não exista esse cheiro putrefato que tem a corrupção”, ressaltou com firmeza.
Rodeado de dezenas de crianças que cantavam seu nome e que interromperam em algumas ocasiões seu discurso, Francisco descreveu Nápoles como uma cidade na qual “se tentou criar uma ‘terra de ninguém’, um território em mãos da chamada microviolência”.
Além disso, o papa destacou da cidade sulina sua “longa história, atravessada por desafios complexos e dramáticos” e reconheceu que o dia a dia está cheio de dificuldades e de “duras provas”.
Complicações que, no entanto, podem contribuir para criar “uma cultura de vida que ajuda a se levantar após cada queda, que ajuda a conseguir de alguma maneira que o mal não tenha a última palavra”.
Por isso, o máximo representante da Igreja Católica insistiu na importância de que estes fiéis mantenham a esperança para não permitir que “quem voluntariamente” tome “o caminho do mal roube um pedaço de esperança de si mesmo e dos demais”.
EDUCAÇÃO
Durante seu discurso, o Papa ouviu uma imigrante filipina e um italiano desempregado contarem sobre suas dificuldades.
O pontífice disse em seguida que imigrantes não podem ser tratados como “seres humanos de segunda classe” e pediu salários justos para trabalhadores.
Paralelamente, insistiu na importância de dividir uma boa educação para formar, assim, a jovens e ensiná-los que sigam o caminho do bem e se afastem das práticas delitivas.
“A educação é o caminho justo porque previne e ajuda a ir para frente”, assinalou.
O bairro de Scampia foi o segundo parada da viagem que empreendeu o papa Francisco hoje à região sulina de Campânia.
O início de sua visita aconteceu no Santuário de Pompéia, onde chegou aproximadamente por volta das 8h local (5h, em Brasília) e onde permaneceu cerca de 35 minutos, orando para Virgem Maria e em companhia de milhares de fiéis que se aproximaram para vê-lo e receber sua bênção.

folhapress