Apenas um a cada quatro carros que circulam em Mato Grosso do Sul possuem seguro, de acordo com o Sindicato das Empresas da Categoria. Em relação a outros estados, o número é muito inferior. A maioria cobre prejuízos por roubos, incêndios e acidentes de trânsito, porém eles também servem para cobrir danos materiais de terceiros e acidentes pessoais por passageiro, com um preço maior.

O valor do seguro é calculado com base em um perfil de riscos que leva em conta, entre outras coisas, se o veículo é utilizado para passeio ou trabalho, se fica na rua ou protegido em alguma garagem.

Ele depende ainda da idade da pessoa que está contratando o seguro. Em geral, fica mais caro para quem tem idade entre 18 a 25 anos, por conta do pouco tempo de habilitação.

Para um carro popular, a média é de R$ 1,2 mil ao ano. E os corretores apontam duas situações que pesam na conta: a franquia reduzida, valor pago pelo dono do carro em caso de acidente, para cobrir as despesas. E o carro que tem cobertura correspondente a 100% da tabela referente aos valores no mercado de automóveis.

G1MS