O setor produtivo, representado pela Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul (Fiems), Famasul, Fecomércio, Faems e FCDL, solicitou, nesta terça-feira (10), ao governador Reinaldo Azambuja a redução da alíquota do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) de 17% para 12% sobre a tarifa de energia elétrica durante o período de bandeira tarifária vermelha para a agropecuária, indústria, comércio e serviços. A solicitação feita pelas federações representativas do setor produtivo é respaldada pelas conclusões que demonstram estudo onde ficaram evidenciadas as graves consequências para as quais caminha o setor produtivo em decorrência da alta de até 46,27% para os consumidores de alta e média tensão.

O governador Reinaldo Azambuja disse que vai solicitar à Secretaria Estadual de Fazenda para analisar o impacto nas contas do Governo da diminuição de 17% para 12% do ICMS da energia enquanto durar bandeira tarifária vermelha, que já vem sendo instituída devido a grande geração de energia por meio das termoelétricas e também do baixo nível dos reservatórios.

“Vamos rapidamente levar esse estudo para a nossa Secretaria de Fazenda para analisar o impacto disso e em 10 dias teremos uma reposta para que possamos construir junto a viabilidade de fortalecer o setor produtivo”, declarou Reinaldo Azambuja.

Segundo o presidente da Fiems, Sérgio Longen, em média, 35% do consumo energético de Mato Grosso do Sul se refere ao setor produtivo e os aumentos autorizados pelo Governo Federal impõem muitas dificuldades. “Ao receber o nosso estudo, o governador Reinaldo Azambuja deu um sinal claro de que pretende colaborar com o setor produtivo neste momento de crise”, declarou.

correiodoestado