Mato Grosso do Sul deve colher uma safrinha recorde de milho com 8,36 milhões de toneladas, volume 5,2% superior ao ano agrícola anterior, quando foram colhidas 7,95 milhões de toneladas. Mesmo com atraso no plantio e pelo menos 30% da lavoura fora do zoneamento agrícola, os números são positivos para a cultura. É o que mostra o 7º levantamento de safra da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) divulgado ontem. A produtividade do milho também deve avançar e ficar em 5.400 quilos por hectare, diante de 5.140 kg/ha de 2014. Já a área plantada se manteve em relação à anterior e deve fechar em 1,5 milhão de hectares.

O levantamento aponta, no entanto, que como uma parte da semeadura foi feita fora do período recomendado, essas áreas podem ser mais afetadas pela escassez de chuvas entre os meses de abril e maio e também pelas geadas que ocorrem principalmente nas regiões sul e sudoeste do Estado, entre julho e agosto, o que pode comprometer a produção.

correio do estado