O governador Reinaldo Azambuja agradeceu, nesta terça-feira (3), a parceria que está sendo construída entre os Governos Federal e Estadual e destacou a importância da Casa da Mulher Brasileira, em Campo Grande. A declaração foi feita diante da presidente Dilma Rousseff, durante a inauguração do espaço que será utilizado para acolhimento e atendimento humanizado das mulheres em situação de violência. Campo Grande é a primeira das 27 cidades a receber a Casa da Mulher Brasileira.

Reinaldo afirmou que espera que as diferenças partidárias sejam deixadas de lado, em benefício da população, e que sejam feitas muitas outras parcerias com o Governo Federal. “Cabe a nós que fomos eleitos e somos detentores de mandato, governar para as pessoas. Muitas pessoas não entendem muitas vezes o cenário político e as disputas eleitorais que existem e devem sempre existir porque isso é o oxigênio para a democracia do nosso País, mas nós sabemos que para resolver grande parte dos problemas que as pessoas enfrentam, nós precisamos sim construir as parcerias. Eu tenho certeza que a presidenta Dilma nunca vai deixar de ser do Partido dos Trabalhadores, assim como o governador Reinaldo Azambuja nunca vai deixar de ser do PSDB, mas juntos Governo Federal e Governo do Estado podem e devem sim construir as parcerias para melhorar a qualidade de vida das pessoas e diminuir as desigualdades. Esse é o objetivo das pessoas que trabalham em prol de uma sociedade melhor, mais justa, mais humana e de inclusão. E esse é o grande desafio nosso”, afirmou.

O governador disse ainda que Mato Grosso do Sul possui números positivos na economia e em outros setores, mas que a Casa da Mulher Brasileira será importante para ajudar a mudar outros índices que entristecem a população do Estado. “Mato Grosso do Sul, que é um estado de oportunidades, que tem crescido bastante ajudado por nosso País no desenvolvimento e tem números extremamente positivos, na sua economia, no seu desenvolvimento, mas a senhora vem aqui hoje nos ajudar realmente a tirar um número que nos entristece porque Mato Grosso do Sul é um dos estados que tem maior índice de violência contra as mulheres e tem o segundo maior índice de estupros também contra as mulheres. Eu tenho certeza que com essa Casa da Mulher Brasileira, que é um esforço federal em parceria com o Município e o Estado, nós vamos poder, com certeza, prestar um melhor atendimento para as mulheres vítimas da violência em Campo Grande”, declarou.

De acordo com os registros das polícias, em Mato Grosso do Sul acontece um estupro a cada sete horas. Além disso, Campo Grande é a capital brasileira com a maior taxa de atendimentos na Central de Atendimento à Mulher – Ligue 180. De acordo com a Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam) de Campo Grande, foram instaurados 3.245 inquéritos somente em 2014.

Para combater esses índices foi criada a Casa da Mulher Brasileira, um dos eixos do Programa Mulher: Viver sem Violência, que tem por objetivo integrar e ampliar os serviços públicos existentes voltados às mulheres em situação de violência. A previsão é de que a Casa da Mulher Brasileira atenda 250 pessoas por dia, entre mulheres e crianças. O investimento para a implantação da Casa em Campo Grande foi de R$ 18,192 milhões.

Compromissos

Reinaldo afirmou também que com a união dos governos federal e estadual e com os esforços das prefeituras será possível fazer muito mais para resgatar as políticas sociais e inclusão, principalmente para as mulheres vítimas de violência terem a oportunidade do trabalho. Ele reforçou ainda que irá colocar em prática dois compromissos dele de campanha para beneficiar essas mulheres: o programa “Empresa Amiga da Mulher”, um pacote de incentivos fiscais para que elas tenham apoio para não dependerem financeiramente de seus próprios agressores; e o Aluguel Social, também para que elas possam se livrar do agressor.

Pantanal News