O diretório estadual do PT se reuniu neste sábado (28) em Campo Grande para definir o calendário do partido para o ano de 2015. Porém, no encontro a maior preocupação é com a crise que a presidente Dilma Rousseff (PT) enfrenta, com aumento do preço do combustível  e da tarifa de energia elétrica e escândalos de corrupção, que levam alguns até a falar em “impeachment”.

Apesar da preocupação, petistas esperam que a presidente consiga se recuperar até a eleição de 2016, para evitar que candidatos a vereador e prefeito sejam atingidos pela má fase que o partido vive principalmente na área econômica, do governo de Dilma.

O deputado federal Zeca do PT está otimista com a recuperação por conta da entrada do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no processo. “O Lula é a principal liderança do partido e do Brasil. Ele, com certeza, vai fazer uma agenda positiva, levando a população para a rua para contrapor a esta articulação golpista dos setores mais atrasados, que tentam afastar a presidente Dilma, porque não concordam com o projeto de 12 anos do PT, que garantiu maior distribuição de renda. A presença do Lula dá outra motivação”, avaliou.

O senador Delcídio do Amaral (PT) entende que a presidente precisa dialogar mais e se antecipar aos fatos para evitar crise maior. Na avaliação do senador, a crise pode não afetar se a presidente começar a fazer uma agenda positiva, dizendo o que está planejando para o pós-crise.

“Não adianta só falar em cortes ou medidas impopulares. Do jeito que estão mandando as medidas para o Congresso, não vão passar. Tem que falar o que pretende para o depois de todo este sacrifício. É isso que precisa ser feito”, analisou.

O presidente estadual do partido, Paulo Duarte, avalia que a presidente tem que fazer uma pauta positiva. Ele lembra que o ex-presidente Lula conseguiu contornar a crise com política e melhorias para a economia. “Tem mais de um ano para a eleição. É tempo suficiente para se recuperar”, declarou.

O deputado Vander Loubet também espera recuperação a tempo do partido não ser afetado. Ele acredita que a saída é ajustar a questão política e também a economia, tomando cuidado com medidas que afetem o trabalhador, que é aliado histórico do partido. O deputado Amarildo Cruz também aposta na recuperação até a eleição. Ele acredita quer é preciso estratégia para mostrar para a sociedade todas as transformações feitas pelo partido nos últimos anos.

MidiaMax