O deputado estadual George Takimoto (PDT) admitiu a possibilidade do trio de deputados do PDT, composto por ele, Felipe Orro e Beto Pereira, sair do partido. O deputado foi eleito vice de Dagoberto Nogueira (PDT) na chapa aprovada na semana passada, mas não descarta acompanhar os colegas.

Takimoto pondera que é contra, mas vai acompanhar Orro e Beto, caso eles decidam sair. “Não sou favorável, mas se for decidido eu acompanho. Vamos sentar os três e decidir juntos. Uma mudança partidária é traumática e traz dificuldade para todo mundo. Você acaba saindo sozinho e ninguém está interessado em entregar a direção para quem chega”, analisou.

Takimoto não acredita que Beto e Orro vão conseguir mudar o resultado da convenção, que elegeu Daboberto na semana passada. Ele justifica que votou em Dagoberto por conta de um compromisso firmado com João Leite Schimidt.

“A convenção já foi realizada e não tem volta isso ai. Ela foi legal e o Dagoberto é presidente. O Beto vai conversar com presidente nacional, Carlos luppi, e eu acredito, com experiência que a gente tem, que o presidente nacional não vai intervir e tomar nenhuma medida para cancelar esta convenção, que foi legal”, analisou.

Takimoto explica que faz parte da chapa por conta de uma brecha deixada por Dagoberto e que a vaga poderia ser ocupada por qualquer um dos três. Porém, como Orro e Beto não foram a convenção, ele acabou ficando como vice. O deputado entende que qualquer outro filiado poderia ser presidente, mas avalia que Dagoberto tem certa vantagem por ser deputado federal e estar mais próximo a lideranças do partido em Brasília, que acabam definindo o futuro da sigla.

midiamax