A sessão terminou antes do previsto, mas o resultado já era esperado: dos quatro vereadores julgados nesta segunda-feira em Naviraí, três foram cassados por quebra de decoro e um renunciou antes da votação. O primeiro desfecho para quatro dos sete legisladores da cidade acusados de corrupção interrompe a carreira de um experiente vereador – Carlos Alberto Sanches, o Carlão, e acaba com os sonhos de três promessas da política local, o ex-presidente da Câmara Cícero dos Santos, Adriano José Silvério e Marcus Douglas Miranda.

Adriano foi o primeiro a ser cassado, por 10 votos a dois, por volta de 17h. Menos de uma hora depois o plenário cassou, também por 10 a 2, o vereador Carlão.

Cicinho, apontado como cabeça do esquema de corrupção e que na semana passada foi expulso do Partido dos Trabalhadores, teve julgamento sumário: os 13 vereadores votaram pela cassação, em tempo recorde, já que ele não compareceu, nem mandou advogado para fazer sua defesa. Ele está recolhido na penitenciária da cidade desde 8 de outubro, quando foi preso juntamente com outras nove pessoas.
Advogado, Marcus Douglas falou por cerca de uma hora. Disse que se arrependeu de entrar para a política e afirmou que a corrupção está enraizada entre os políticos, “que pedem dinheiro, pedem de tudo, o tempo todo”. Ao encerrar o discurso ele renunciou ao mandato, assim como já tinha feito, no dia 7 de novembro, a policial civil aposentada Solange Melo.

Moradores da cidade, que lotaram a Câmara para acompanhar a sessão e cobrar a cassação dos vereadores, entre os quais dezenas de pessoas que chegaram a passar a noite acampadas no local, comemoraram o resultado e saíram em carreata pela cidade. Agora prometem manter a vigília, para que outros três acusados sejam cassados – Elias Alves, Gean Carlos Volpato e Vanderlei Chagas.

CG News