A equipe da Força Tática da Polícia Militar de Nova Andradina estourou na noite de sexta-feira (20), a segunda boca de fumo, desta vez na Vila Operária. Uma mulher foi presa acusada de tráfico de drogas.
Isadora Gomes dos Santos de 23 anos, vulgo Isa, há tempos é conhecida no meio policial pelas constantes denúncias em seu desfavor pelo envolvimento no tráfico de drogas. Seu marido, Edilson do Nascimento Leite de 32 anos, vulgo Nenê PCC, natural de Caarapó, foi alvo de diversas operações policiais, no dia 3 de junho do ano passado, foi surpreendido no tráfico de drogas e preso.

 

Após sua prisão, o alvo das denúncias passou a ser Isadora, onde começou a gerenciar o tráfico, usando sua residência na rua José Taveira de Souza, 1974 e a do seu genitor, poucos metros a frente na mesma rua, como depósito.

 

Em 4 de dezembro passado, durante a operação Plumbum, desencadeada pela Polícia Civil, a residência foi alvo da operação, mas nada de ilícito foi encontrado durante as buscas.

 

A equipe da Força Tática passou a monitorar o modus operandi de Isa, descobrindo como ela comercializava o entorpecente. Durante o dia, vendia pequenas porções no seu endereço e a noite, a comercialização era na residência de seu genitor, onde também mantinha uma espécie de depósito, caso a polícia fosse a sua residência.

 

Após monitoramento nesta sexta, os policiais viram que na casa do genitor de Isa, havia intensa movimentação de usuários a pé e de veículos, onde adentraram no local.
Com uma policial feminina, Isadora foi revistada e sob seu seio, foi localizado uma pedra bruta de crack de 10 gramas, que segundo a polícia, após manufaturada pode render cerca de 30 paradinhas de crack. Em um dos quartos da residência, sob a cama onde estava a acusada, foi encontrado um prato com restos de crack, tesoura, plástico e isqueiro, materiais estes utilizados para confeccionar os entorpecentes.

 

Aos policiais a mulher teria afirmado que a droga era de sua propriedade e que manufaturava a pedra bruta em “paradinhas” e comercializava por R$ 10 cada. Ainda foi encontrada a quantia de R$ 172,25 com acusada. Em seu celular, havia diversas mensagens comercializando entorpecente.

 

Presa, Isadora e o material apreendido, foram encaminhados a Delegacia de Polícia Civil, onde foi autuada em flagrante pelo crime de tráfico de drogas.