Levantamento do Departamento Econômico da Federação de Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul (Famasul), com base em dados do Serviço de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Sipoa), da Superintendência Federal de Agricultura (SFA), aponta que em janeiro de 2015 houve uma retração de 8,86% no número de abates de bovinos nos frigoríficos do estado em relação ao mesmo mês de 2014, caindo de 349 mil cabeças para 318 mil.

Segundo os dados, dos bovinos abatidos nos frigoríficos do estado no primeiro mês deste ano, 53,77%, o representa 171 mil animais, eram machos. O restante, outros 46,22%, o equivalente a 147 mil cabeças eram fêmeas.

No Informativo Casa Rural produzido pela entidade, os técnicos destacam que no mercado interno os preços da arroba do boi e da vaca apresentaram discretas desvalorizações entre 5 de janeiro e 10 de fevereiro, com a arroba do boi sendo cotada ao fim desse período a R$ 136,57, queda de 0,27% e a da vaca a R$ 127,54, retração de 0,54%.

O informativo expõe ainda que durante o mês de janeiro essa tendência pode ser explicada, entre outros motivos, pela leve retração da demanda, ocasionada pelas novas medidas econômicas e também pela redução já tradicional do consumo que ocorre no início do ano.

Outro aspecto, foi a desvalorização, que mesmo com informações de oferta satisfatória para cobrir a escala média de 7 dias, foi amenizada pelos produtores que tentaram resistir as pressões dos frigoríficos para manter os preços nos patamares elevados.

Neste contexto, o informativo aponta que o mês de fevereiro começou com relatos de oferta restrita de animais para o abate, principalmente fêmeas, e que esse fato contribuiu para que a tendência durante este período continue de equilíbrio entre oferta e demanda.

g1