Em cinco meses de operação, o SAU (Serviço de Atendimento ao Usuário) da CCR MSVia registrou uma redução de 30,4% no número de mortos em acidentes ocorridos na BR-163/MS. Só em fevereiro o número de acidentes diminuiu para 187, com 53 feridos e apenas duas vítimas fatais. Segundo Fausto Camilotti, Gestor de Atendimento da CCR MSVia, a presença dos colaboradores do SAU na pista, aliada às obras de recuperação e modernização da BR-163/MS e às campanhas de conscientização estão apresentando resultados positivos.

“A rodovia de hoje é muito melhor do que aquela encontrada por nós quando assumimos a BR-163/MS em abril do ano passado e isso é fruto de muito trabalho”, afirma Camilotti. “Realizamos uma série de obras de recuperação do pavimento, substituição e modernização da sinalização, roçada e capina permanente, além de atendimento 24 horas pelo SAU, o que está mudando a relação dos usuários com a rodovia”.

Camilotti também destaca que as conquistas demonstram a efetividade das ações de conscientização por meio de campanhas periódicas de distribuição de folhetos educativos e da intensificação na fiscalização da rodovia pela PRF (Polícia Rodoviária Federal).

“A PRF tem sido uma grande parceira nesse esforço de transformar a BR-163/MS em Rodovia da Vida, não só no apoio a campanhas educativas, mas principalmente na intensificação das atividades de fiscalização e punição aos motoristas infratores”, afirma o Gestor. “A tendência é que a autoridade policial não precise investir tempo e efetivo na rotina de funcionamento da rodovia, agora administrada por nós, podendo intensificar o policiamento ostensivo e as campanhas de fiscalização, o que é muito bom para todos”.

O engenheiro destaca que a empresa vai ampliar as ações de conscientização dos motoristas para combater o excesso de velocidade e fortalecer as práticas de Direção Segura em Mato Grosso do Sul.

“Ainda é grande a quantidade de colisões traseiras e engavetamentos, além de tombamentos e capotamentos, tendo em vista as paradas repentinas que podem ocorrer no tráfego”, destaca o engenheiro. “Os usuários têm que se conscientizar que o respeito aos limites de velocidade é fundamental para minimizar os riscos desse tipo de acidente”.

diario ms