Mellany Joyce, Rafa Spears, Renan Simplício e Mikaelly Zanotto

A comunidade LGBT de Mato Grosso do Sul realizou na noite do último sábado (23), o Miss e Mister, para eleger os mais belos representantes da comunidade gay do Estado. Como todo concurso de beleza, na maioria heterossexual, a disputa foi acirrada e por fim não agradou a 100%, mas avaliou o luxo, elegância, beleza dos 36 candidatos diante de uma plateia animada que marcou 10ª edição da competição. Como o Página Brazil anunciou, que a Capital receberia o concurso em tempos da propalada, polemica ou louca volta da ‘cura gay’, a categoria não se intimida, faz protesto pelo Brasil e continua realizando suas agendas de eventos, até para que em tempos de intolerância, a missão seja encorajar o público LGBT e traçar um legado que pregue a união e o enfrentamento ao preconceito, como organizadores e os modelos afirmaram na noite.

Os concorrentes eram de 16 cidades de MS, com maior participação de Campo Grande e Três Lagoas, que mesmo assim, não levaram muitas ‘coroas’. Os eleitos foram: Mister, o homem gay mais belo da categoria, Renan Simplício, 27 anos, representante da cidade de Ponta Porã. A transformista Mellany Joyce, 24 anos, representante de Sidrolândia, foi eleita a Miss Gay, onde concorrem travestis e transgêneros. Já a jovem Mikaelly Zanoto, também Sidrolandense, levou a categoria Miss transex, quem mudou de sexo. A novidade de 2017, e assim sendo, a primeira Miss plus size, é a transformista Rafa Spears, da Capital. Veja abaixo, os demais candidatos classificados nas primeiras colocações, como alguns premiados em Miss simpatia, Miss popular.

As estorias de superação pessoal ou persistência na vida e até em participar do concurso, perfizeram o curriculum e fala dos candidatos. Renan, que tinha torcida foi consagrado pela plateia antes mesmo do anúncio de campeão, apesar de ter havido discordância com titulo dado e até mesmo dele, que assim recebeu ou ratificou uma auto-estima.  “Eu não tinha toda essa confiança em mim, fui estimulado por amigos, agora sei que posso acreditar mais e incentivar outras pessoas”, mencionou ele que ainda após titulo acrescentou que representando a comunidade LGBT, espera ser um encorajador daqueles que o cercam e transmitir a confiança adquirida. “Espero deixar as pessoas mais confiantes, transmitir a mensagem de que acreditem em si e não se importem com posições negativas”, afirma.


Única representante da Capital que levou premio maior

Já a Sidrolandense transformista Mellany Joyce, relatou todo seu “longo caminho” até chegar ao tão sonhado título de miss gay, conquistado no sábado. Refém do preconceito, a artista até abandonou os palcos artísticos, que participava, por receio de julgamentos. “Participei do concurso no ano passado e fiquei em terceiro lugar. Ouvi as críticas, corrigi meus erros, me preparei, e agora, conquistei o primeiro lugar. É uma sensação incrível, emocionante. A ficha ainda não caiu”, explica que até estava bem mais confiante que há alguns anos, pois ainda contou com o apoio da família, que foi em peso prestigia e torcer, como do marido, que também participou e ficou como o segundo homem gay mais belo do Estado.

Persistência absoluta

A agora, coroada miss, Mikaelly Zanoto, vencedora na categoria transex, não levou o título de primeira. Ela lembra que este foi o quarto ano consecutivo em que participou do evento em busca do primeiro lugar. Segundo ela, a missão agora é representar bem o Estado na competição nacional. “Foi a realização de um sonho. Agora, quero representar muito bem as transexuais do Estado no Miss Brasil, no ano que vem”, diz.

Em 2018, todos os eleitos representam Mato Grosso do Sul no concurso nacional de cada categoria.

Outras colocações

No mister, o segundo lugar ficou com o candidato Elcio Queiroz, de Rio Brilhante e o terceiro com Alex Xavier, de Dourados. O simpatia foi para Selviria com o mister Lucas Bertão e o popularidade com o corado Mister Renan Simplício.

No miss gay plus size o segundo lugar foi para a aquidauanense Alice Leão, e o terceiro para Tisciany Kamura, de Corumbá, que também ganhou a faixa de miss simpatia. O miss popularidade ficou com a candidata Rafa Spears, de Campo Grande.

Na categoria transformista Três lagoas levou para casa o segundo com a candidata Raphaela Fox. A terceira colocação foi para a candidata Daniele Oliveira que representou Corumbá. O miss simpatia e popularidade ficaram com Andreza Porto de Campo Grande.

Por fim, em segundo lugar do miss transex foi eleita a três-lagoense Leticia e em terceiro a corumbaense Nada Ferraz. O miss popularidade foi para Sidrolândia com a candidata Mikaelly Zanoto e o miss simpatia para Daniane Vasconcelos, de Nova Alvorada do Sul.

O post Miss e Mister elege representantes da comunidade LGBT de MS apareceu primeiro em PaginaBrazil.Com.