MC Vilãozin, de 6 anos, foi incluído em um inquérito aberto pelo Ministério Público de São Paulo sobre “forte conteúdo erótico e de apelos sexuais” em letras e danças de músicos menores de idade. A informação foi confirmada ao G1 pela assessoria de imprensa do MP-SP.

O pai de Rhyan Pietro, nome real de MC Vilãozin, disse que ainda não recebeu nenhuma notificação sobre o inquérito. Wellington Silva, que também é empresário do cantor, não quis responder às outras perguntas do G1 e não atendeu mais ao telefone.

MC Vilãozin, de São Paulo, lançou em maio o clipe “Tapa na bunda”, que mostra o cantor ao lado de duas dançarinas. Ele canta versos como “senta com a pepeca” e “dá tapa na bunda dela”. O vídeo, publicado no canal da RP Produtora, foi visto mais de 60 mil vezes.

No canal da RP Produtora também há um vídeo do cantor de 6 anos cantando a mesma música em um show no Jardim Helena, Zona Leste de São Paulo.

Inquérito
O Ministério Público de São Paulo abriu o inquérito no dia 23 de abril de 2015. Entre os funkeiros que têm material investigado estão MC Melody, MCs Princesa e Plebeia, MC 2K, Mc Bin Laden, Mc Brinquedo e Mc Pikachu.

De acordo com uma das representações do inquérito, sobre MC Melody, de 8 anos, ela “canta músicas obscenas, com alto teor sexual e faz poses extremamente sensuais, bem como trabalha como vocalista musical em carreira solo, dirigida por seu genitor”. O pai da cantora disse ao G1 que ela vai mudar seu estilo, sem sensualizar.

g1