O jovem de 18 anos que teve coma alcoólico durante trote universitário nesta segunda-feira (2) disse à sua mãe que foi impedido de parar de beber. “Ele me contou que estava bebendo sim, mas que quando a situação fugiu do controle quis parar de beber e não deixaram”, disse a genitora nesta terça-feira (3).

Ela relatou que vai procurar o Ministério Público e que irá à UCDB (Universidade Católica Dom Bosco) comunicar o fato. “Queria registrar boletim de ocorrência, mas meu filho pediu para não fazer por medo de retaliações na universidade”.

O delegado Alexandre Amaral Evangelista, responsável pela 2ª DP, delegacia que abrange a região da UCDB declarou que, por ora, não há investigações sobre o caso. “Se as vítimas registrarem na delegacia que foram forçadas a beber vamos apurar o ocorrido”.

O caso

Dois calouros da UCDB entraram em coma alcoólico durante trote em posto perto da instituição nesta segunda-feira (2). Os veteranos alegaram que os jovens exageraram na bebida porque quiseram. Um deles entrou em medicina veterinária e a garota, menor de idade, em engenharia civil.

Os calouros foram levados para a UPA (Unidade de pronto Atendimento) do Bairro Coronel Antonino, região norte de Campo Grande.Os dois já deixaram a unidade de saúde e passam bem.

A mãe do jovem chegou a lamentar a situação em sua página da rede social, causando grande repercussão no Facebook. Já a mãe da garota disse que a filha é evangélica e foi forçada pelos demais a fazer uso de bebidas alcoólicas, que foram misturadas.A caloura está com medo e com vergonha de voltar à universidade.

A assessoria de imprensa da UCDB declarou  que em princípio, não comentaria o caso porque ele ocorreu fora das dependências da instituição.