Ladrões, supostamente indígenas supostamente oriundos da Aldeia Amambai, invadiram uma propriedade rural situada próxima a reserva indígena e abateram uma novilha avaliada em R$ 2 mil reais.

O furto na fazenda Retiro São Domingos, situada na Rodovia MS-386 que liga Amambai a Ponta Porã, próxima da cidade em Amambai, ocorreu na noite da última segunda (12) para terça-feira, 13 de janeiro.

O animal de aproximadamente Aberdeen Angus, de raça geneticamente apurada, de aproximadamente dois anos, foi capturado dentro da invernada, arrastado para uma área de terra gradeada após os ladrões quebrarem a cerca de arame liso e abatido com requintes de crueldade, já que na região da nuca existiam vários cortes, possivelmente provocados por golpes de foice.

Depois de abatido o animal teve apenas partes de carne pura como os quartos e as paletas retiradas e o resto da carcaça foi abandonada no local.

Segundo o dono da propriedade, o produtor rural, Ricardo José Busato, abates de animais como o registrado nessa terça-feira, que aconteceu a pouco mais de um quilômetro da sede da fazenda, tem ocorrido com freqüência na propriedade rural.

Crime corriqueiro na região

O abate de gado por parte de indígenas em propriedades rurais situadas nas proximidades das aldeias são frequentes na região Cone Sul do Estado, em Mato Grosso do Sul.

Anualmente dezenas de ocorrências dessa natureza são registradas nas delegacias de Polícia Civil de toda a região, mas os casos se querem são investigados e quando ocorre algum tipo de investigação, nunca se apura os responsáveis.

Atitudes como essa, de invadir propriedades, abater animais e furtar a carne são praticadas por alguns grupos isolados que não tem a provação da maior parte dos moradores e das lideranças das aldeias indígenas, porém como o Estado não age para identificar a fazer os autores responderem criminalmente, a sensação de impunidade leva a aumentar o número de ações criminosas dessa natureza na região.

Segundo a Polícia Civil, caso seja identificado, o autor ou autores de abates de animais como esse caso registrado na fazenda Retiro São Domingos, poderão ser presos por furto qualificado, artigo 155, parágrafo 4º do Código Penal Brasileiro que acarreta em uma pena que varia de 2 a 8 anos de prisão, mais o pagamento de multa.

AGAZETANEWS