Um incêndio atingiu o arranha-céu The Marina Torch, em Dubai, nos Emirados Árabes, na madrugada deste sábado (21) (horário local), deixando 7 feridos por inalação de fumaça.

O prédio é um dos conjuntos residenciais mais altos do mundo, chegando a 336 metros, e tem 79 andares. Cerca de 2.000 pessoas moram na torre.

A polícia de Dubai assegurou que “não se suspeita que o incêndio tenha sido provocado”.

Segundo informações a página de internet The Gulf Business, o fogo foi controlado por volta das 4h30 local (22h30 no horário de Brasília) e pouco depois o cordão de isolamento foi retirado para que moradores dos andares inferiores pudessem ter acesso aos apartamentos e retirarem pertences pessoais.

A principal suspeita é que o fogo tenha iniciado entre os andares 51 e 57, e com os detritos e o vento, se espalhou, atingindo até o 79º e último andar do prédio.

Em entrevista à ABC News, Kathryn Dickie, que mora no 13º andar do prédio, afirmou que seguranças da torre desceram de apartamento a apartamento quando o alarme de incêndio soou. “Eles estavam frenéticos”, disse.

Ela disse que os moradores acreditam que o fogo começou no 51º andar e correu para o apartamento de uma amiga, próximo ao prédio, onde viu a ação dos bombeiros. “É possível ver as chamas sendo apagadas pelas mangueiras de incêndio”, revelou Dickie. Segundo ela, cerca de dez caminhões de bombeiros chegaram para atuar no combate ao fogo.

Testemunhas viram ainda um grande destroço cair na piscina do prédio vizinho, o Princess Tower, maior arranha-céu residencial do mundo. Os bombeiros controlaram o incidente sem dificuldades.

Outra testemunha, Leah Polonenko, que mora em um prédio à frente da torre, disse à CNN que percebeu o incêndio logo no início. “Começou como um incêndio pequeno, em um apartamento no 51º andar, e depois os detritos começaram a voar, em chamas, por todos os lados, com o vento. E alguns andares abaixo começaram a pegar fogo também.” (Com agências internacionais)