A Polícia Militar de Mato Grosso do Sul doará a Guarda Civil Municipal de Ponta Porã (MS) armas de fogo para equipar os agentes no trabalho de segurança pública. A Guarda atua numa região de fronteira, onde os índices de ocorrência de crime contra a vida é altíssimo e a maioria com emprego de arma de fogo, bem como os crimes contra o patrimônio.

O secretário municipal de Segurança Pública, tenente-coronel da reserva da Polícia Militar, Ulisses César Alcarás, disse que a Guarda equipada poderá dar apoio e trabalhar integrada nas operações desenvolvidas pelo Gabinete de Gestão Integrada da Fronteira com os demais órgãos de segurança estadual e federal.

Alcarás disse que os Guardas atuarão armados após preencherem todos os requisitos que a lei estabelece e os que forem aptos para trabalharem armados no exame psicotécnico é que farão o curso de manuseio da arma e o tiro prático. No curso, os agentes receberão instruções de como funciona a parte mecânica do armamento, os tipos de munições, como pega-se a arma para atirar, o controle da respiração, a realização da visada e dos tiros. Também realizarão os tiros sob pressão psicológica e física, a fim de adquirirem melhores controles sobre si e do armamento.

O curso será ministrado por pessoas qualificadas, credenciadas pela Polícia Federal, a qual expedirá o porte de arma de fogo funcional aos Guardas que realizarem todas etapas e estiverem aptos. Alcarás ressalta que o Curso de acordo com a planilha prevista na matriz curricular estabelecida pelo Ministério da Justiça, através da Secretaria Nacional de Segurança Pública.

Os Guardas Municipais de Ponta Porã também receberão instruções sobre quais as situações em que podem legalmente fazerem uso da arma de fogo contra a pessoa. “Ressalta-se que só é permitido em legítima defesa própria ou de terceiros. Concluímos que o dever de proteger as pessoas para não serem vítimas de infratores da lei penal é do Estado como um todo, portanto a sociedade deve muni-la de todo equipamento legal a fim de estar em condições de agir quando for necessário”.

correio do estado