Em nota divulgada hoje (1°) sobre as manifestações dos caminhoneiros nas estradas do país a Secretaria-Geral da Presidência da República informou que o governo vai ampliar a presença das forças policiais para garantir o cumprimento das decisões judiciais e a desobstrução das rodovias em busca de garantir o direito ao trabalho e o abastecimento da população.

A nota fala em “diminuição do movimento” e informa que as manifestações dos caminhoneiros seguem localizadas na Região Sul do país com 80% dos bloqueios em rodovias federais do Rio Grande do Sul, Paraná e de Santa Catarina.

“A diminuição do movimento e a atuação da Polícia Rodoviária Federal, Força Nacional e polícias estaduais no cumprimento da lei vem assegurando o livre trânsito a quem queira trabalhar, possibilitando a normalização do abastecimento de combustível e a retomada da atividade econômica”, diz o texto.

A nota registra também que o governo federal lamenta o uso de violência nas manifestações com depredação de veículos e coação de caminhoneiros que querem trabalhar. O governo reitera o compromisso com as propostas anunciadas nos últimos dias e a disposição para o diálogo.  No último dia 26, o governo se reuniu com caminhoneiros e apresentou propostas para acabar com os protestos.

Ontem (28), o caminhoneiro Cléber Adriano Machado Ouriques, de 38 anos, morreu após ser atropelado durante protesto na BR-392, em São Sepé, município da região central do Rio Grande do Sul.

O último balanço divulgado pela Polícia Rodoviária Federal na noite desse sábado indicava 46 pontos de interdições em rodovias federais provocados pelos protestos dos caminhoneiros contra o aumento do óleo diesel e a falta de um valor mínimo de frete.

agencia brasil