O governador Reinaldo Azambuja disse, nesta quarta-feira (7), que a administração estadual anterior não concluiu uma série de obras e não deixou dinheiro no caixa do Governo para que sejam finalizadas, diferente do que disse o ex-governador André Puccinelli (veja matéria).Os dados repassados no período de transição, segundo Reinaldo Azambuja, são muito diferentes do que estão sendo levantados pela equipe do atual Governo.

A secretaria de Infraestrutura está fazendo um raio x de todas as obras que não foram concluídas pela última gestão e levantando os recursos deixados na conta do Governo para finalizá-las. A partir desse levantamento, o governador Reinaldo Azambuja e a sua equipe vão poder definir as prioridades das conclusões dessas obras inacabadas.

Dentre as obras inacabadas e que não têm dinheiro empenhado para a conclusão estão os hospitais regionais de Dourados e de Três Lagoas, como também algumas rodovias estaduais.

“Nós recebemos informações no período da transição que não correspondem com a realidade. Diziam que as obras não seriam terminadas, mas que deixariam o dinheiro na conta para que a gente pudesse terminar, só que não foi isso que aconteceu”

Segundo dados preliminares, os hospitais regionais de Três Lagoas e de Dourados tiveram os recursos empenhados no início de dezembro e foram cancelados no dia 31 – último dia da gestão anterior. Para cada uma dessas obras foram destinados recursos na ordem de R$ 41 milhões e R$ 21 milhões, respectivamente, que foram revogados no último momento.

Além dos hospitais regionais, as MS 180 e 156, e a duplicação da Avenida Guaicurus, em Dourados, também tiveram os recursos cancelados.

Fonte: Correio do Estado