Em menos de 48 horas após o crime o SIG (Setor de Investigação Geral) da Delegacia de Polícia Civil local, com apoio do DIP (Departamento de Inteligência Policial) com sede em Campo Grande, desvendou um latrocínio ocorrido na cidade, em Amambai e prendeu seis pessoas, entre elas quatro menores, envolvidas na ação criminosa.

O caminhoneiro Paulo Godoy, de 63 anos, foi assassinado com 12 facadas dentro se sua residência na noite de terça-feira de Carnaval, dia 17 de fevereiro.

Segundo o SIG, Paulo, que morava só, foi esfaqueado sobre o sofá da sala, posteriormente e teve o corpo arrastado pelos criminosos até o banheiro da casa onde foi deixado.

De acordo com a polícia, após matarem o caminhoneiro os marginais teriam furtado dois celulares modelos simples de pequeno valor e alimentos, entre outros objetos.

O corpo de Godoy, que trabalhava no transporte de grão em Amambai, foi encontrado por vizinhos na quarta-feira, dia 18, que acionaram a polícia.

Investigação e identificação dos autores

Ao tomar conhecimento do crime, investigadores do Setor de Investigação Geral da Delegacia de Amambai passaram a atuar no caso e em menos de 48 horas conseguiram identificar e prender seis pessoas, segundo a polícia, todas envolvidas diretamente no latrocínio (roubo seguido de morte).

O SIG chegou aos autores, todos indígenas, parte moradores na Aldeia Limão Verde e parte desaldeados que perambulam pelas ruas da cidade e em aldeias da região, aconteceu após levantar informações, inclusive sobre um dos celulares da vítima que estava em poder de uma indígena na Aldeia Amambai.

A prisão dos acusados, Valdesco Riquelme, de 23 anos, de Rodrigo Matias, de 24 anos e dos demais envolvidos, três garotos e uma garota com idades entre 12 e 16 anos, aconteceu no decorrer da quarta-feira e dessa quinta-feira, dia 19 de fevereiro em diferentes pontos da cidade.

De acordo com o SIG, todos os acusados detidos confessaram participação no latrocínio, mas nenhum assumiu ser o autor das facadas que matou o caminhoneiro.

Segundo os investigadores, todas as pistas levantadas e depoimentos de outros envolvidos apontam Valdesco Riquelme, que inclusive já teria tentado matar a própria mãe, como sendo o autor dos golpes de faca contra o Paulo Godoy, mas ele nega e aponta um dos adolescentes apreendidos como sendo o autor.

De acordo com a Polícia Civil, durante o processo de investigação o SIG recuperou os dois celulares da vítima, apreendeu um par de tênis que estava com um dos acusados, cujas ranhuras do solado batem com as pegadas encontradas envolta da residência da vítima e também levantou outras provas que incriminam o bando.

Segundo a Polícia Civil, a vítima, que dias antes do crime teve a casa arrombada e objetos furtados, tinha costume de assistir televisão com a porta aberta e a luz apagada, o que pode ter facilitado a ação dos criminosos.

De acordo com o SIG, ao serem presos os envolvidos teriam relatado que Paulo Godoy foi morto porque teria respondido de forma hostil a um dos criminosos.

O corpo de Paulo Godoy foi encaminhado para a cidade de Apucarana no estado do Paraná onde moram seus familiares para ser velado e sepultado.

Fonte: A Gazeta News