Em discurso de inauguração da Casa da Mulher Brasileira em Campo Grande, a primeira do país, a presidente da República, Dilma Rousseff (PT), pediu tolerância zero em relação à violência contra a mulher, defendendo maior proteção às vítimas. E emendou a seguinte comparação: “vamos pegar o touro a unha”.

A solenidade, que aconteceu na sede da Casa, localizada na Rua Brasília, no Jardim Imá, na Capital, contou com o governador do Estado, Reinaldo Azambuja (PSDB), prefeito de Campo Grande, Gilmar Olarte (PP), deputados, ministras do governo e Maria da Penha Maia Fernandes, vítima de violência doméstica que dá nome à lei nacional de proteção à mulher.

A presidente ressaltou, ainda, que somente a ação conjunta pode alterar os índices de violência apresentados por Mato Grosso do Sul e que são considerados altos. A Casa da Mulher Brasileira vai funcionar como um espaço que concentrará os serviços e atendimentos a mulheres vítimas de violência – a instituição é uma parceria entre os governos federal, estadual e municipal.

Dilma pediu também aos parlamentares presentes que endureçam e aprofundem legislações que garantam maior proteção às mulheres. Na Casa da Mulher funcionará a Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher com atendimento 24 horas.

No início de sua fala, a presidente homenageou Maria da Penha, “que honrou a todos, ao transformar sua luta em proposta de vida para lutar contra a violência contra as mulheres”. Pediu também que as mulheres atendidas pela Casa recebam atendimento necessário e humano, uma vez que “quem sofre violência fica muito fragilizado”.

Marcada para começar às 9 horas, a solenidade transcorreu tranquila. Apesar de protestos terem sido marcados nas redes sociais, poucos manifestantes foram até o local.

Cerca de 30 caminhoneiros protestaram contra o aumento de combustível, com faixas e ‘buzinaço’, nas proximidades do evento. A presidente deixou o evento sem falar com jornalistas e seguiria direto para o aeroporto, onde embarcaria rumo a Brasília (DF).

Proteção

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) recebeu a presidente Dilma na manhã desta terça-feira (3). O tucano autorizou o funcionamento diuturno da Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher) no espaço inaugurado, e o prefeito Gilmar Olarte (PP), confirmou que Casa terá uma equipe da Guarda Municipal, chamada de ‘Patrulha Maria da Penha’, que vai socorrer mulheres com medida protetiva que acionaram o dispositivo conhecido como ‘botão do pânico’.

midiamax