O mercado de trabalho da construção civil de Mato Grosso do Sul fechou 2014 com um dos piores desempenhos do País. O estoque de empregos recuou 20,29%, de 45.874 em dezembro de 2013 para 36.564 em igual mês do ano passado, de acordo com estudo divulgado ontem pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil de São Paulo (Sinduscon-SP). Essa variação é a terceira menor do Brasil, superando – e com pequenas diferenças – apenas os resultados do Amazonas (-21,38%) e do Amapá (-20,99%).

O encolhimento do número de trabalhadores formais no setor decorre do fechamento de 8.011 postos de trabalho de janeiro a dezembro, o pior resultado na série histórica do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), iniciada em 2003. As entidades que representam o setor veem na retração da economia o principal fator desse cenário. Também acrescentam, como causa pontual, as demissões ocorridas em Três Lagoas.