wmX-540x461x4-54faefb23c1cc64f4185a726510bdd2e4769676ecf8b9Mesmo com a extradição de Vilmar Marques Gonzales resolvida no Supremo Tribunal Federal, ainda transita um processo a respeito da dupla nacionalidade de “Neneco” no Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul e a extradição só poderá ser efetuada se ficar comprovado que Neneco realmente é paraguaio.

A defesa diz que ocorre um contrassenso nas relações diplomáticas do Brasil e que o caso é parecido com o do brasileiro Marco Archer preso na Indonésia por tráfico de drogas, onde foi executado em 17 de janeiro, apesar do pedido de clemência feito pela presidente Dilma Rousseff, algo que estremeceu as relações entre Brasil e Indonésia.

“A presidente do Brasil, Dilma Rousseff, foi enérgica em tentar trazer o brasileiro preso na Indonésia para cumprir pena no Brasil e agora, no caso de Neneco, vai consentir a condução de um brasileiro para outro país, sem voz ativa. Não iremos aceitar isso”, defende.

Neneco está preso no Brasil e em maio, durante audiência de extradição na Justiça Federal, em Campo Grande, ele alegou que se voltasse para o Paraguai seria morto. “Eu sofro muita pressão pelo partido da oposição. Vou ser morto se voltar ao Paraguai”, declarou ele na época.

Segundo os advogados de defesa, Hervitan Cristian Carulla e Anderson Rodrigues Carvalho, o que se comprova com forte evidência, é que o extraditando é brasileiro.

A começar de sua origem com Certidão de Nascimento de Paranhos, ele possui CPF, RG, Título de Eleitor, Cartão Nacional de Saúde e CNH, que são documentos de uso exclusivo de brasileiros.

O Jornal Internacional News teve acesso com exclusividade ao Assento de Nascimento brasileiro e, segundo a defesa, verdadeiro de Neneco.

MAIS INFORMAÇÕES

CASO NENECO

Fonte: Internacional News