Depois da prisão de José Osmar Freitas, de 27 anos, apontado como assassino do investigador da Polícia Civil, José Nivaldo de Almeida, 51, a Polícia Civil de Tacuru (MS) busca por comparsas que teriam ajudado o suspeito a se esconder. Osmar foi preso na última quarta-feira (14), quinze dias depois de ter disparado contra o policial.

“A apuração das pessoas que ajudaram ele já eram e continuam sendo objetos de investigação. É certeza que ele contou com ajuda!”, declarou o delegado responsável pelo caso, Bruno Trento Hein.

Durante apresentação do suspeito à imprensa realizada na manhã de ontem quarta-feira (15) na delegacia do município, o suspeito confessou o crime. “Ele alegou que o policial teria usado força excessiva e por esse motivo ele teria reagido”, contou o delegado.

Osmar já havia sido investigado por furto e violência doméstica e chegou a cumprir pena por tráfico de drogas. Ele será indiciado por homicídio e tentativa de homicídio, ambos qualificados, por porte ilegal de arma de fogo de uso restrito e de uso permitido, furto, desobediência e resistência.

Correio do estado